Após gastar fortuna, família de Schumacher revela seu real estado de saúde

2604
COMPARTILHE AGORA!!

Quase 5 anos após o trágico acidente, em uma pista de esqui em Méribel, no sul da França, a lenda da Fórmula 1 continua a ser mantida em casa.

No dia 29 de dezembro de 2013, Michael Schumacher se desequilibrou e bateu a cabeça em uma rocha, gerando graves impactos cerebrais. No entanto, o seu estado de saúde ainda é mantido em segredo pela família.

Segundo um amigo íntimo da família, em declarações ao jornal alemão Bunt, “Corinna (a esposa) e as crianças esperam até hoje que um milagre médico aconteça”.

“Graças ao físico atlético de Michael Schumacher e ao poder de seu corpo já treinado, “ele está indo bem nas circunstâncias”, afirmou.

Segundo a mesma fonte, a família de Schumacher estaria cogitando em transferi-lo para uma clínica especializada em lesões cerebrais em Dallas, nos Estados Unidos, que tem como especialista o conceituado médico Mark Weeks.

No entanto, tudo não passa de especulação porque a família mantém em segredo o estado de saúde do ex-piloto

Despesas milionárias

De acordo com o jornal espanhol As, os gastos com cuidados médicos do campeão de Fórmula 1 estão na ordem dos 140 mil euros (549 mil reais) por semana.

Até agora, para cuidar de Michael Schumacher, foram gastos mais de 28 milhões de euros em 4 anos, algo como 110 milhões de reais.

A quantia pode surpreender, mas é uma gota de água no oceano, pois representariam apenas 3 por cento da fortuna do ex-piloto alemão.

O hepta-campeão mundial de Fórmula 1 ganhou cerca de R$ 3,3 bilhões em toda a sua carreira, segundo a revista Forbes.

Polêmicas com a imprensa especulativa

Em um artigo de 22 de dezembro de 2015, a revista Bunte afirmou que Michael Schumacher estava podendo dar alguns passos com a ajuda de um suporte. No entanto, o empresário de longa data Sabine Kehm negou prontamente o informação.

Com a imprensa fazendo marcação cerrada e cobrando sobre informações sobre o real estado de Schumi, a polêmica estalou quando foram roubados prontuários médicos que revelavam o estado de saúde do ex-piloto.

Segundo o jornal alemão “Bild”, o ladrão teria oferecido os prontuários a jornais da Alemanha, da Inglaterra e França. Eles estariam cobrando um preço mínimo de 50 mil euros (cerca de R$ 150 mil).

Na sequência, um homem que não foi identificado, e que estava preso por ter furado os prontuários, foi encontrado enforcado em sua cela numa cadeia em Zurique. Ele trabalhava como diretor da empresa  especializada em resgates, a Rega, que é uma subsidiária da companhia aérea Swissair.

No fim de 2016, um homem teria fotografado Michael Schumacher em sua residência e estava vendendo as imagens aos meios de comunicação por 1 milhão de euros (3,5 milhões de reais).

COMPARTILHE AGORA!!